Atirz é a segunda a acusar o ator de má conduta.

Ator, vencedor de dois prêmios Emmy por seu trabalho na série, nega as acusações.

Atirz é a segunda a acusar o ator de má conduta.
Atriz é a segunda a acusar o ator de má conduta.

Mais uma mulher acusou Jeffrey Tambor de assédio sexual. Desta vez, foi a atriz Trace Lysette, que trabalhou em 11 episódios de Transparent como a instrutura de yoga – e, às vezes, stripper – Shea. As informações são da Deadline e do The Hollywood Reporter.

Segundo seu relato, o ato aconteceu durante as gravações de uma cena em que Maura Pfefferman, interpretada por Tambor, está tentando encontrar o tom correto para dizer a frase “Yas queen!”, popular entre as queers. De acordo com Lysette, quando ela surgiu com a roupa de usaria na cena, Tambor disse que “queria atacá-la sexualmente”. Alexandra Billings, atriz de Transparente, estava por perto e ouviu este relato, porém, todos riram por achar um absurdo.

Momento depois, enquanto esperavam para gravar,  Lysette estava em um canto do set e Tambor, vestido como Maura, se aproximou. “Ele veio para perto, colocou seu pé descalço sobre o meu para que não me movesse, apoiou seu corpo contra o meu, e começou, discretamente, a balançar seu corpo para frente e para trás. Senti seu penis nos meu quadril através de seu pijama”, completou. Ela o empurrou, mas ninguém estava presente no incidente, já que todos estavam focados em seus trabalhos.

Lysette é a segunda transgênero a acusar Tambor de atos inapropriados. A primeira foi sua antiga assistente pessoal do ator, que ganhou dois prêmios Emmy por sua atuação na série da Amazon, disse, em uma postagem privada no Facebook – agora deletada – que sofreu abusos durante o período que trabalho para Tambor.

Tambor nega ambas as acusações. Em nota divulgada, ele disse que a série lhe dá a honra de interpretar uma mulher trnasgênero, que traz um impacto enorme e positivo para a comunidade. “Agora, me encontro acusado de um comportamento que qualquer pessoa civilizada condena. Eu sei que nunca fui a pessoa mais fácil de trabalhar. Eu posso ser volátil e mal-humorado, e, muitas vezes, expresso minhas opiniões duramente e sem tato. Mas eu nunca fui um predador”,disse Tambor. Ele continua dizendo que pede desculpas se qualquer ação sua foi mal-interpretada por qualquer um como agressivo sexualmente ou ofender.

 

A Amazon disse que adicioná a alegação na sua investigação. Para os roteiristas, a solução seja matar Maura ou excluí-la da narrativa da série, que estreia sua quinta temporada em 2018.

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.