Resenhas | Unbreakle Kimmy Schmitd – 2ª Temporada

Série retornou com bons momentos e trouxe participações especiais.

A série cresceu do ano passado para cá e trouxe novidades, mas pode melhorar mais ao explorar todos os lados da protagonista e dos outros personagens.

A série cresceu do ano passado para cá e trouxe novidades, mas pode melhorar mais ao explorar todos os lados da protagonista e dos outros personagens.

 

Kimmy voltou! Após o julgamento do Reverendo (John Hamm) no final da primeira temporada, a saída de Jacqueline (Jane Krakowski) para sua família e Dong (Ki Hong Lee) casar com Sonja, Kimmy tenta colocar sua vida de volta aos trilhos nesta temporada, ou melhor, todos tenta colocar pôr a vida no lugar.

O segundo ano é sobre essas novas fases. Começando com Jacqueline, que abraça seu lado indígena e tenta estar perto dos pais, porém nada dá certo e retorna com apenas 12 milhões de dólares do ex-marido e tenta incluir-se novamente na alta sociedade de Nova York. A participação da nêmesis de Jacqueline, Deirdre Robbespierre (Anna Camp) só melhora sua trajetória. Até mesmo o romance com Russ Snyder (David Cross) é levado de maneira correta e crível.

Titus (Tituss Burgess) continua sendo o melhor personagem da série. O seu show de um homem só que, por mais que traga questões racistas e que tornam todo o enredo questionável, leva muitos a chorar. O seu romance com Mikey Politano (Mike Carlsen) foi algo extraordinário e trouxe momentos que o personagem precisou. Os dois trouxeram algo leve e divertido em sua relação.

Lilian (Carol Kane) é o momento sempre esperado. Suas loucuras são críveis e sua paixão pelo bairro é algo a ser adorado. Suas cenas são algo bem polido e o mérito para a interprete que consegue fazer as loucuras algo de extremo bom gosto.

Agora sobre Kimmy Schmitd (Ellie Kemper). A personagem passou por momentos incríveis durante essa temporada. Seus relacionamentos são explorados de forma excepcional. Desde da sua dúvida sobre Titus sair da sua vida, sua tentativa de romance com Dong, a terapia e o encontro com sua mãe, a personagem passou momentos que foram necessários.

Explorar a amizade de Kimmy e sua tentativa de ajudar as meninas que passou 15 anos trancada, é ainda algo forte na série. Cyndee e Gretchen acionam momentos de Kimmy que fazem o público entender a personagem. O episódio que Cyndee tenta casar em um programa de TV mostra o quanto se importa com cada uma das amigas.

Colocar a personagem em terapia e explorar seus momentos de raiva foi também memorável. Tina Fey é maravilhosa no papel da terapeuta bêbada e que quer ajudar a Kimmy, do mesmo jeito que Kimmy quer ajudar.

O último episódio traz algo maravilhosa. Lisa Kudrow como a mãe de Kimmy. Lori-Ann Schmitd é viciada em montanhas russa e o encontro com a filha, durante algumas voltas em uma montanha-russa, e ambas gritando o que sentiram durante a vida inteira.

Nem todos os episódios trazem algo incrível. Ainda pecam em alguns momentos, como qualquer série e até extrapolam em minutos. Alguns poderiam diminuir cenas que não iriam prejudicar o andamento da série.

A série cresceu do ano passado para cá e trouxe novidades, mas pode melhorar mais ao explorar todos os lados da protagonista e dos outros personagens.

 

Anúncios

1 comentário

  1. Responder

    Essa série é muito engraçada 😀

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.