Com problemas no roteiro, série não faz justiça ao poder dos Inumanos nos quadrinhos.

ABC entrega série que merece ser esquecida.

Com problemas no roteiro, série não faz justiça ao poder dos Inumanos nos quadrinhos.
Com problemas no roteiro, série não faz justiça ao poder dos Inumanos nos quadrinhos.

Em 2016, a ABC surpreendeu o mundo ao afirmar que, ao invés de produzir o filme sobre os Inumanos, o grupo da Marvel iria estrear na televisão, sendo que o primeiro e o segundo episódio seriam gravados em tecnologia IMAX e estrear nos cinemas. Bom na teoria, péssimo na pratica.

Com um elenco bem escolhido (Iwan Rheon, Anson Mount e Serida Swan sendo os principais destaques), a série se perde em um roteiro ruim, que coloca histórias apenas para preencher espaço.

Maximus (Rheon) e Medusa (Swan) são os melhores personagens. Enquanto um possui a obsessão em ser o comandante da população inumana da lua, com um pensamento correto, mas utilizando metologias questionáveis, Medusa se desdobra para lutar por ela e por Raio Negro.

O comprometimento de Mount com seu personagem é louvável. Sua criação de uma linguagem própria de sinais, que se diferencia da utilizada nos Estados Unidos, é admirável e mostra que acreditar no projeto e no que ele representa. Infelizmente, todo o resto é de revirar os olhos e mostra que não faz justiça ao poder que o grupo possui nos quadrinhos.

Criação de romances que não serviram para nada, sub-enredos que se desdobraram de forma muito rápida e sem conclusão definitiva, são alguns dos detalhes que mais incomodaram durante os oito episódios exibidos. Além disso, a exploração dos flashbacks foram poucos e explicações quase não existiram.

A ABC/Disney/Marvel precisa esquecer que essa série existiu e, talvez, em um futuro próximo, trazer uma nova imagem para o grupo. Seja uma nova série, que realmente seja pensada e desenvolvida, ou em um longa-metragem, como seria pela primeira vez.

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.