Resenhas | Little Fires Everywhere

“Little Fires Everywhere” está disponível pelo Prime Video no Brasil.

    Minissérie é inspirada em livro de Celeste Ng. (Foto: Reprodução)

    Há diversos temas que podem mostrar a significância de Little Fires Everywhere para a atualidade. A série do Hulu (que chegou ao Brasil pelo Prime Video no último dia 22), inspirada no livro de Celeste Ng, consegue explorar tais asserções de forma correta e necessária.

    Entenda: além da abordagem sobre a classe socio-econômica apresentada pelo livro, a minissérie faz a questão de explorar o racismo, o privilégio branco e a síndrome salvadora, a falácia do “sonho americano“, e outros motes.

    Kerry Washington e Reese Whiterspoon são os dois polares dessa minissérie. Tanto Mia Warren quanto Elena Richardson são perseguidas por ações passadas que evidenciam ainda mais essa oposição.

    Whiterspoon está se destacando por interpretar mães protetoras, com a síndrome de salvadora branca e que acredita que não é racista por ter amigos negros (ou, nesse caso, ter marchado com Martin Luther King). Elena deseja se reafirmar constantemente, não enxergando o próprio erro e não querendo compreender seu próprio privilégio.

    Washington interpreta uma Mia feroz. Suas lutas (principalmente maternais) são elucidas nos capítulos finais, quando seu passado é explorado e mostra que há uma ferida aberta a ser cicatrizada.

    É interessante notar o quanto as famílias se disfarçam nesse enredo. A busca por reafirmações, perfeiçoamento e pertencimento emolduram o que os adolescentes são dentro da atração.

    Pearl Warren (Lexi Underwood) deseja a estabilidade que os Richardson possuem, mesmo sofrendo gradualmente por ser usada de diversas maneiras por eles. Do outro lado, temos Lexie (Jade Pettyjohn) que segue tudo que a mãe diz, repetindo suas falas e ignorando seu privilégio; Trip (John Elsass), o típico garoto atleta que usa charme para conquistar o que quer; Moody (Gavis Lewis), o que deseja ser diferente dos irmão e ser o culto.

    Por fim, temos Izzy (Megan Stott). A personagem sofre por não se entender com a mãe e, principalmente, ser diferente dos irmãos. A descoberta de sua sexualidade adiciona outra camada a sua própria identidade – que está sempre em conflito.

    Com oito episódios, Little Fires Everywhere conseguiu enriquecer a obra de Celeste Ng. Sua destreza em atualizar seu conteúdo, e incitar o questionamento dos personagens, foi essencial para que a minissérie se torne algo memorável em 2020.

    Little Fires Everywhere está disponível pelo Amazon Prime Video no Brasil. A versão dublada chegará em junho pela plataforma.

    Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    %d blogueiros gostam disto: