Resenhas | Hollywood

Criada por Ryan Murphy e Ian Brennan, minissérie estreou na última sexta-feira pela Netflix.

Minissérie é estrelada por Darren Criss, Jeremy Pope e David Corenswet. (Foto: Reprodução)

Conheço o trabalho de Ryan Murphy e Ian Brennan desde 2009, quando Glee estreou pela FOX e se tornava um sucesso gigantesco. Onze anos depois, posso afirmar que há dedicação em trazer questionamentos sociais (mesmo que, por muitas vezes, seja apenas arranhões).

Hollywood não é o melhor trabalho da dupla. Com uma mensagem simbólica, a carta aberta à indústria cinematográfica se perpetua ao “e se” grandes estúdios se arriscassem e trouxessem histórias sobre minorias feitas por minorias.

Ambientada na década de 1940, logo após a Segunda Guerra Mundial, Hollywood traz a história de atores, roteiristas e diretores, além de pessoas que atuam, principalmente, nos bastidores de um longa-metragem. Recheado de referências, a minissérie da Netflix mistura os fatos e a ficção para amolecer o telespectador e expor a realidade escondida da época.

Darren Criss, Jeremy Pope e David Corenswet estrelam – e produzem – o projeto. É possível perceber que a minissérie é algo importante para o trio, seja para mostrar suas ascendências e histórias pessoais, ou para mostrar como o cinema moldou suas vidas.

Brincando com as possibilidades, Hollywood mostra a versão alternativa da sua história, onde uma mulher negra protagoniza um filme na década de 1940 e ganha um Oscar (o fato aconteceu somente em 2001, com Halle Berry). Ou onde homens homossexuais – e suas histórias – tivessem a liberdade de serem abertamente quem são (Rock Hudson, por exemplo, só pode falar sobre sua orientação sexual meses antes de sua morte).

Patti LuPone, Jim Parsons, Dylan McDermott, Holland Taylor e Joe Mantello são essenciais para a minissérie. Seja interpretando pessoas reais ou fictícias, os atores são tão – ou mais – importantes que os protagonistas.

Hollywood está longe de se destacar por grandes triunfos em sua narrativa. Porém, consegue exercer sua função em idealizar uma indústria mais aberta as possibilidades e em contar histórias sobre minorias, escritas, produzidas, vividas por minorias.

Hollywood está disponível desde 1º de maio pela Netflix.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: