Série terá apenas mais duas temporadas.

A temporada das teorias confirmadas e de resoluções importantes.

O sétimo ano ainda está longe e teremos menos episódios para ver, porém, a grandiosidade poderá ser maior que o sexto ano.
O sétimo ano ainda está longe e teremos menos episódios para ver, porém, a grandiosidade poderá ser maior que o sexto ano.

 

Com o passar das temporadas, aprendemos que Game of Thrones ainda precisava de seus livros de base para sobreviver. As tramas criadas no impresso há tantos anos, traziam o ponto necessário para o desenvolvimento de diversos personagens e seus núcleos. Neste sexto ano, a série não apenas ultrapassou os livros de forma exemplar, como trouxe aos fãs a melhor temporada do seriado da HBO.

A atração correu com as histórias e mostrou que nunca dará um nó, sem saber desatar. Os núcleos, que não seguem a mesma linha do tempo, foram explorados de maneira que, no fim, se juntasse e mostrasse que cada ponto ali importa.

Começando com Dorne, que nunca se mostrou importante, e trouxe questões sérias de como algo que seria majestoso, se tornou desastroso. As Serpentes de Areia, tão bem colocadas nos livros, viraram meras assassinas odiadoras de homens, que “quiseram” vingar a família. Porém, de alguma forma, poderá ser um núcleo incrível no sétimo ano, com a alianças formadas no fim.

Seguindo para Correrrio, é de desgosto geral dos fãs o Walder Frey e trazê-lo de volta seria inútil (já que o núcleo não aparecia há três anos), mas muitos se animaram com a ideia de ter Peixe-Negro, Edmure, Jaime e Brienne no mesmo espaço. Afinal, há uma personagem importante que poderia surgir. Não veio, e foi algo até bem tedioso de assistir. Entretanto, Game of Thrones mostrou que há a razão em tudo.

Mencionando Jamie Lannister, a saga de Porto Real foi, novamente, a mais interessante de todos os núcleos em Westeros. Apesar do personagem ainda ser um fantoche de Cersei, o personagem poderá voltar a crescer com os acontecimentos finais da temporada. A possível Rainha Louca, mostrou ser impiedosa e não ter problemas em matar inocentes. Tommem se foi, Tyrion está longe, e a Fé Militante também não estará mais presente. Agora, ela será a Rainha e não importa quem está em seu caminho. Margeory se voltar para a Fé dos Sete foi interessante. Tommem ser guiado pelo Alto Pardal mostrou o quanto ele era influenciável. Sabemos que a ideia de Margeory sempre foi proteger o irmão e a avó e isso foi mostrado.

Bran e Meera e Hodor voltaram após um ano fora.  A jornada do jovem Stark em se tornar o Corvo-de-Três-Olhos cresceu absurdamente e trouxe, talvez, um dos momentos mais emocionantes de toda a temporada. Descobrir como Hodor virou Hodor foi trágico e belo e, saber que o Tio Benjen ainda está vivo e salvou Bran e Meera da morte foi emocionante. Óbvio que o jovem lobo ainda precisa melhorar suas visões. Ele quis brincar e fez besteira, porém, graças a essas visões, descobrimos o passado, o presente e o futuro.

Sam e Gilly tiveram pouco espaço, é verdade, mas a família do jovem apareceu e foi maravilhoso ver o Tarly enfrentar o pai e ir em busca da Cidadela. A cena final do personagem na série foi emocionante.

Theon se mostrar a favor de Yara ser a Rainha das Ilhas de Ferro foi emocionante. Eles irem embora após o tio matar o pai e se proclamar Rei foi algo memorável, principalmente pela edição feita. Eles encontrarem já Daenerys foi esplendoroso pelo diálogo.

Sobre Daenerys, os Drothakis e Tyrion: Westeros ficará pequena. A Nascida da Tormenta domou seus dragões e mostrou que é ótima em combate, e deixa toda a conversa para Tyrion resolver na Baía dos Escravos. Os dois juntos são uma belíssima combinação e eles com os Tyrell, Greyjoys e as Serpentes se mostrará vitoriosos.

Arya não teve o melhor arco. Sabemos que sua linha é a mais antiga do espaço da série, mas foi contada de forma errônea e muito estranha. No próximo ano, e após matar o Frey, poderá encontrar a Irmandade sem Bandeiras e Cão novamente. Agora, possuem um certo caminho em comum e Melisandre, após ser expulsa de Winterfell, poderão cruzar as jornadas.

Na Muralha, Jon Snow voltou. O mistério que cercou os fãs por um ano foi revelado e mudou o rapaz bastardo. Mas antes de sair e não querer mais patrulhar, Sansa o encontrou. Um reencontro belo e que mostrou o quanto Sansa cresceu. Apesar de Mindinho ainda fazer a cabeça dela,  a jovem ruiva quer sair de ser apenas uma donzela indefesa.

Todos sabemos que A Batalha dos Bastardos foi a mais incrível feita pela série. A jovem Lyanna Mormont virou uma nova estrela da série e a confirmação que Jon é filho de Lyanna Stark e Rhaegar Targaryen foi excitante.

O sétimo ano ainda está longe e teremos menos episódios para ver, porém, a grandiosidade poderá ser maior que o sexto ano.

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.