Resenhas | American Gods – 1ª temporada

Série adaptada do livro de Neil Gaiman é fascinante.

Série é fascinante!
    Série é fascinante!

     

    American Gods não é somente uma adaptação do livro de 2001 de Neil Gaiman. Tão menos é algo que simplesmente surgiu como uma história maluca que que a Starz e a Amazon quiseram fazer. A série é algo surpreendente, mesmo para aqueles que já conhecem o livro.

    Entre fotografias espetaculares e trilha sonora que se sobressai, o seriado estrelado por Ricky Whittle, Emily Browing, Pablo Schreiber e Ian McShane (com participações de Crispin Glover, Kristin Chenoweth e Gillian Anderson) traz momentos fascinantes. As interações entre Whittle e McShane são impressionantes e as frases de Mr. Wednesday são poderosas e suas ações transformam aos poucos o personagem.

    Browing se destaca como Laura Moon, uma mulher sem muitas perspectivas e que consegue irritar até a pessoa mais calma do universo. Em suas cenas como Schreiber, especialmente no episódio sete “A Prayer For Mad Sweeney”, mostra o quão forte é a ligação entre os dois personagens e qual a necessidade de estarem perto um do outro.

    As interpretações de Anúbis, Ostara (conhecida hoje como Páscoa) e Vulcan (único personagem criado especialmente para a série) são louváveis e cheias de detalhes, mostrando, entre os outros deuses antigos, suas necessidades de apreciação e o quanto ainda são influentes nos dias atuais. A presença de Mídia – uma atuação de tirar o fôlego de Anderson em suas variáveis de Marilyn Monroe, Lucille Ball e David Bowie – e a representação da Tecnologia são a representação do que a sociedade se tornou com o passar do anos, reféns de ambos.

    Devemos agradecer que Deuses Americanos já está confirmada com uma segunda temporada e há somente a expectativa que se torne algo grandiosos, lembrado após tantos anos de exibição. Houve sensibilidade e genialidade ao trazer esta série ao ar neste ano. Houve maestria ao saber adaptar e mostrar o mundo criado por Gaiman há quase duas décadas.

     

     

    Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    %d blogueiros gostam disto: