Opinião | Como a troca de atriz poderá beneficiar ‘Batwoman’

“Batwoman” é exibida pela HBO no Brasil.

    Ruby Rose deixará a série após apenas uma temporada. (Foto: Reprodução)

    Há algumas semanas, os fãs do Arrowverse foram surpreendidos com a notícia da saída de Ruby Rose de Batwoman após a primeira temporada.

    Nos bastidores, especula-se que a atriz não se adaptou as longas horas de gravações e muito menos a Vancouver, cidade canadense onde a maioria das produções da CW são gravadas. Cenas noturnas, exigências em cenas de luta e afins, fazem parte da agenda de ser protagonista de uma série de herói. A presença no set deve ser maior e além de “estou aqui para atuar”.

    Acostumada a papéis menores – e alguns anos dedicados somente ao cinema -, Ruby talvez não imaginava que a vigilante de Gotham exigiria dela. Entretanto, desde sua aparição em Elseworlds (crossover de 2018) já se sabia que a demanda seria, no mínimo, diferente dos outros trabalhos. Não é apenas dedicação ao próprio projeto, mas a integração ao universo começado por Arrow em 2012.

    É importante notar que diversos fãs “comemoraram” sua saída. Seja por alguns comportamentos em sets, ou por não ser judia, fãs acreditam que essa é a oportunidade para que alguém que abrace a personagem. E é neste momento que a mudança de atriz poderá beneficiar Batwoman.

    Kate Kane não é apenas um símbolo lésbico. A personagem, prima de Bruce Wayne, também é importante pelo protagonismo judaico nos quadrinhos. Explorar mais as raízes religiosas, e sua presença na vida de Kate, será fundamental para o crescimento da série.

    Em recente tweet, foi afirmado que Batwoman poderá ser uma pessoa completamente nova, anulando qualquer interação e relacionamento apresentado no primeiro ano. Essa mudança (se confirmada) será péssima para uma série ainda em busca de sua base de fãs.

    A história de Kate Kane é fundamental para a série, tanto que o relacionamento com a irmã gêmea é o principal foco dos primeiros 20 episódios. Apagar isso – e os acontecimentos finais do primeiro ano -, mostrariam um descaso com tudo que foi construído desde 2018, quando um projeto sobre a personagem começou a ser desenvolvido.

    Logo, todas essas características devem ser apreciadas pelos roteiristas. Isso é sobre representatividade dentro de uma grande emissora norte-americana de uma religião que foi perseguida diversas vezes, e ter voz dentro da comunidade.

    Uma cena sobre o bat mitzvah não resolve o problema. É preciso explorar todas as celebrações, questões alimentares e qualquer outra característica da religião judaica. A mudança de atriz pode ajudar a levantar essa conversa e enaltecer uma comunidade.

    Batwoman tem o poder de ampliar todas as vozes presentes em seu elenco, e nas adaptações dos personagens. É trazer o debate para que enriqueça a série e conquiste o público além daqueles que consomem quadrinhos.

    A segunda temporada de Batwoman estreia em 2021 pela CW. A série é exibida pela HBO no Brasil.

    Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    %d blogueiros gostam disto: