Documentário é dirigido por Felipe Braga.

Documentário mostra a realidade exaustante de ser um bailarino.

Documentário é dirigido por Felipe Braga.
Documentário é dirigido por Felipe Braga.

Com estreia prevista para o próximo dia 14, pelo canal Max, o documentário Primeiro Bailarino traz a realidade do brasileiro Thiago Soares, carioca e o primeiro brasileiro a entrar na Companhia Royal Ballet, uma das principais do mundo.

Didivido em seis partes, o documentário é produzido pela produtora Los Bragas e dirigida por Felipe Braga. Com uma aborgadem crua, é fácil perceber a realidade exaustante – e, no fim, prazerosa – de ser um bailarino. Gravado em 2016, o documentário mostra o processo de criação de danças e toda a pressão de trabalhar com pessoas que admira a vida inteira.

Filmado em Londres, São Paulo e Rio de Janeiro, o documentário consegue mostrar o mais íntimo do Royal Opera House. Das exaustivas horas de trabalho para deixar Romeu & Julieta – clássico que foi projetado pelo Royal – perfeito e Raven Girl, nova obra da Companhia. Além disso, faz questão de mostrar os projetos paralelos no Brasil.

O documentário mostra, de certa forma, a dificuldade de fazer arte no Brasil. Durante o período de gravações, o Rio de Janeiro passava por uma crise gigantesca em que até o Theatro Municipal sofreu suas consequências. Outro ponto abordado são as dores do bailarino de 36 anos – quase 11 como Primeiro Bailarino.  O gelo faz parte da sua vida diária, seja antes ou depois dos ensaios.

Apesar de não se aprofundar tanto nos temas, é interessante ver a relação de Soares com a dança e sua vida, mesmo que bem superficialmente. Aqueles interessados no assunto, a falta de mais detalhes sobre como o jovem carioca conseguiu o feito de entrar no Royal Ballet em 2002 e permancer até hoje. Mas, entretem o suficiente para elogiar os feitos pelo brasileiro.

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.